segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Agressões / assédio moral... uma nova epidemia

Sinto-me feliz.. começo a receber uns "feed-backs" que me dão ânimo pra continuar a reflectir, a levantar questões, a abrir polémicas sobre os "prós e contras" de enfermagem.. e é mesmo por estas que continuarei sempre no anonimato... como compreendem, se desejo um blog polémico, com total liberdade de expressão, nunca revelarei a identidade.. porque ainda não vivemos num mundo completamente livre..

Agora era meu desejo, que aqueles que pudessem, se identificassem, pra eu perceber a abrangência.. aqueles que não puderem.. não crise.. desde que participem, já é óptimo !

Relativamente fácil será perceber o meu local de trabalho.. a isso é impossível fugir.. pra meu regozijo, tem havido neste, reacções positivas e há até já quem arrisque a adivinhar o respectivo autor, mas continuam muito longe de o conseguir..

Bem há pouco tempo, via email, fui confrontado com dois temas críticos: "agressões físicas/assédio moral". Num dos emails perguntam se conheço alguém que tenha sido vitima de violência em contexto trabalho, para possíveis entrevistas numa reportagem da SIC. De imediato respondi, ainda revoltado com os recentes acontecimentos: " esta semana foi mordido e arranhado um colega de um serviço de Medicina, por um doente com alucinações/paranóia e com hepatite B. Há já algum tempo, alguém que não terá ficado satisfeito com a cor da pulseira atribuída na Triagem de Manchester do Serviço de Urgência, parte os óculos a um colega. Numa noite entram 3 indivíduos pelo S.U, amigos de um utente, partindo tudo à sua frente. São comuns as agressões no nosso hospital, mais frequentes, por razões evidentes, no S.U. Alguns são os colegas que levaram ou um murro, ou um estalo, ou uma patada, de de utente desorientado/com alterações de comportamento, ou não." E reparem, sem querer dar a imagem de vitima, são quase sempre os enfermeiros os alvos, pois são eles que estão nas enfermarias, nos corredores, junto dos doentes, não outros (alguns!) que estão sentados nos gabinetes, porque acreditem meus amigos (e aqui dou-lhes valor) se o problemas os abrangesse da forma que nos abrange eles teriam conseguido soluções.

Muitos destes episódios passaram-se após a nossa luminosa administração achar que estava a gastar muito dinheiro com UM policia permanente num posto, no SU. Seria melhor continuar a pagar balurdios a médicos que às vezes nem presentes em serviço estão" mas isso são outras conversas..
Na minha resposta não incluí as já conhecidas agressões morais, que passam despercebidas no âmbito de violência, mas não deixam de o ser. Estas ainda mais frequentes são.. quem não foi o colega que de uma forma ou de outra foi caluniado, insultado, ameaçado?!..
Não podemos andar sistematicamente a lamentar, é necessário denunciar! Desde já faço o apelo! Se foste, ou tens conhecimento de quem tenha sido, alvo de violência, relata aqui mesmo essa experiência, deixando nomes... contactos... emails... para assim reencaminhar à colega que fala da reportagem que uma jornalista da SIC quer fazer
Aproveito também para pedir aos leitores que divulguem o link deste blog a todos os colegas do CHAM, excluindo os da urgência, ou melhor ainda que enviem esses emails para guilhermedecarmo@iol.pt, prometo que apenas os utilizarei para divulgar assuntos relacionados com o blog.. pois o meu desejo era proporcionar uma discussão a todos os enfermeiros e não apenas alguns..

O outro email que recebi aborda o tema " assédio moral" que é uma forma de agressão moral.. um tema que finalmente começa a ser trabalhado e estudado no nosso meio. Parece coincidência mas não é.. pode ser um sinal.. esta poderia ser a "semana da agressão"
As agressões vão continuar, porque apesar de não ser considerada ou tida como, somos uma profissão de risco.. várias o são.. e no mundo em que vivemos cada vez mais o serão..
Mas temos o dever de as diminuir..enfrentando e combatendo este problema.. o dever de alertar o poder politico, alertar a população, exigir segurança, exigir meios..
Este blog poderá ser um pequeníssimo passo,o meu papel é de incitar ao movimento.. o resto é contigo.. convosco.. connosco. Não caminhem cada um para o seu lado, caminhemos no mesmo sentido
beijos e abraços

8 comentários:

  1. Caro colega,
    efectivamente o assedio moral é uma praga que assola a enfermagem e que tem consequências devastadoras para quem é assediado. Interessante verificar que quem assedia mais os enfermeiros são os seus chefes, também enfermeiros. Despotismo destes e falta de consciência de quem é assediado nos seus mais básicos direitos humanos,leva a que se torne urgente DENUNCIAR, DENUNCIAR, DENUNCIAR todas as situações para acabar com a praga do seculo XXI.
    Helena Neves

    ResponderEliminar
  2. Ola colegas!!!
    é certo q existem mts formas de agressões... E mts vezes vêm dos nossos próprios colegas!!!
    No Cham temos uma colega que devido a 1 problema de saúde tem cuidados moderados e como é q a nossa direcção de enfermagem resolveu o problema???? Colocou-a no serviço de Medicina como extra-nomerario (perdoem-me se n for verdade) a assegurar o trsnporte de doentes de outros internamentos para exames e transferencias inter-hospitalares.....
    O q chamam a isto?????
    Tudo esta bem,quando corre bem!!! e quando tiver 1 transporte e tiver de realizar manobras??? como classificam os cuidados moderados????

    1abraço voltarei

    ResponderEliminar
  3. Maria da Luz Assunção9 de dezembro de 2008 às 14:27

    Cara Glosa
    Aconselho-a a rever o seu conceito de agressão.
    já vai perceber o porquê do meu comentário. existem no CHAM muitas linguas afiadas que deveriam antes de falar e/ou escrever, pelo menos tomarem conhecimento das situações, principalmente quando expoem a vida e os problemas dos outros:

    1 -Acompanhar doentes a outras instituições, é um trabalho tão importante quanto todos os outros existentes nesta unidade hospitalar
    2 - estou num Serviço de Medicina por opção e não por "castigo" como é afirmado
    3 - Da parte da Direcção de enfermagem (anterior)tive toda a abertura e colaboração tendo-me sido proporcionado outro Serviço, o qual eu recusei.
    4 - Relativamente à minha intervenção caso tenha necessidade de realizar manobras a algum doente, falo-ei como qualquer profissional, utilizando para tal os meus conhecimentos.
    5 - aproveito também para esclarecer que existe por parte de quem de direito preocupação no conhecimento do contexto dos doentes a acompanhar antes dos mesmos me serem atribuídos
    6 - Agradeço desde já a sua preocupação, mas até à presente data nunca necessitei de advogados de defesa, ainda por cima mal informados. Se necessitar de mais informações agradeço que me procuro, terei todo o prazer em esclarecer as suas dúvidas. Lamento que a enfermagem desta Instituição recorra a estes meios para expor a vida de colegas

    Maria da Luz Araújo de Assunção a exercer funções no Serviço de Medicina 1 Piso 8

    ResponderEliminar
  4. Mª da Luz:
    Nunca em momento algum quis por em questão o teu desempenho ou conhecimentos... Longe de mim tal pensamento, quem sou eu? Uma mera colega de trabalho....
    Mesmo após todas as tuas afirmaçoes, continuo a achar ma conduta da parte da direcção...
    vida alheia? hoje és tu e amanha pode ser qualquer um de nós...
    1abraço

    ResponderEliminar
  5. Sou agente de saúde e no momento estou em tratamento em razão do assédio moral do meu posto de saúde.
    Alguem pode me ajudar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tambéme stou em tratamento de sáude por assédio moral e excesso de trabalho relacionados ao hospital em que trabalho... Quero desistir da profissão mas ainda não sei por onde começar! Também preciso de ajuda!

      Eliminar
    2. tudo depende da tua profissão. se és enfermeiro, talvez começar pela ordem, é para isso que lhes pagamos todos os meses. Depois talvez inspeçao geral do trabalho talvez... digo eu.. Sinceramente não tenho certezas sobre essa matéria. Boa sorte.. :|

      Eliminar
  6. A solução pode começar por denunciar por escrito aos teus superiores. Mas não percebo ao certo o que fazes, qual o tratamento q estas a fazer.. gostava de te poder ajudar

    ResponderEliminar