segunda-feira, 23 de maio de 2016

Quer que a sua filha fique uma baleia como você?



Há umas semanas atrás, assisti ao novo programa da SIC: "E se fosse contigo?"
O assunto era o preconceito e discriminação relativamente a pessoas com excesso de peso.
Uma das entrevistadas referiu que uma certa altura, numa consulta à sua filha, uma médica perguntou se ela queria que a filha ficasse uma baleia como ela. (17:20)
Foi uma médica, poderia ter sido outro qualquer profissional de saúde. Uma boa parte de nós, onde eu me incluo, já fez, em contexto de trabalho, directa ou indirectamente, algum comentário depreciativo a algum doente obeso.
Nunca assisti a absurdos deste tipo, mas muito ouvimos em passagens de turno, conversas informais, conversas com os doentes, etc.. Isto é um lembrete para mim e para qualquer um de vós, para não esquecermos que o doente já sabe que é gordo e provavelmente já sabe o que tem que fazer para lutar contra isso. A questão está em ajudá-lo nesse passo.

Sem comentários:

Publicar um comentário