domingo, 19 de abril de 2015

Alcoolismo na saúde



Não se compreende como é que um bar de um hospital vende bebidas alcoólicas.
Não se compreende como é possível um funcionário beber seis cervejas (33 cl) ao longo de um turno.
Também não se compreende como alguém é capaz de fumar num serviço de reparações de equipamentos, num serviço de componentes mecânicos e eléctricos. (Já tinha escrito sobre este assunto em particular, num post anterior, mas repito, porque a situação mantém-se)

Já várias vezes abordámos estas problemáticas (vide etiquetas alcoolismo, drogas), o que fazer então para combatê-las?

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Já que se falou aqui em bebidas,vou aproveitar e falar de comidas.Nunca estivemos tão mal neste sector ,como agora,o bar do pessoal é impossivél lá entrar ás horas das refeições,com as longas filas para um espaço tõa exíguo.

    Os pratos são servidos conforme as categorias profissionais,o Sr Doutor leva um "pratinho mais arranjadinho"(ouvi eu lá esta expressão),enquanto que o assistente operacional ou o enfermeiro,come o que há,e é se quer!
    O refeitório desde que mudou de concessão é uma desgraça , comida cara e com mau aspecto!
    Perante este triste cenário,deixo aqui um pedido á srº Directora da nutrição que é visita assidua e diária do piso 8
    ;Olhe pela saúde e alimentação da nossa instituição (...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
  3. Nem de propósito. É verdade! Como alguns profissionais desta área fumam e bebem nas barbas de quem ali passa. Mais, para vergonha de quem os dirige, nomeadamente do piso 8, pois basta olhar da janela para os ver na esplanada dos bares circundantes.
    Pela parte de alguns a má-criação é mais que uma constatação, julgo até que é patologia!
    Como podem dar-se ao luxo de lavar carros em tempo de serviço, com produtos do Hospital? Infelizmente não é apenas propriedade deste setor, outros há, e, só não vê quem fecha os olhos.
    Mas agora pergunto eu, para que existem funcionários neste serviço numa empresa como esta, quando mais de metade das operações já é feita por empresas exteriores?
    “QUO VADIS HOSPITAL”

    ResponderEliminar
  4. E eu que achava que a censura tinha acabado há 40 anos.....afinal ainda existe "lápis azul" aqui no blog,cortam metade do que se diz...que vergonha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá, antes de mais obrigado pelo teu comentário. Eliminei de facto uma parte do teu comentário, porque não posso permitir comentários de cariz depreciativo, quando as pessoas se referem a alguém em particular. Eliminei a tua ultima frase e portanto não é de perto nem de longe "metade do que se diz" Tento funcionar como um moderador e pretendo que o Blog seja um "portefólio" de criticas construtivas

      Eliminar
  5. Será que anda tudo bêbado, ou melhor dizer a beber, do nosso bolso, pode ser?
    http://sersindicalista.blogspot.pt/2015/04/direcao-de-enfermagem.html#comment-form
    Ora vejam.

    ResponderEliminar