terça-feira, 21 de julho de 2015

Enfermeiro Graduado vs especializado (*)


Desde que a carreira de enfermeiro-chefe se eclipsou, surgiu um novo cargo - enfermeiro coordenador.
Alguns apressaram-se a tirar a especialidade, com o objectivo de ter mais "créditos" para assumir este novo cargo nos serviços. Apesar de um enfermeiro com especialidade poder ser um bom gestor, uma especialidade não confere capacidade de gestão, nem pretende conferir.
Os enfermeiros com especialidade, apesar de, actualmente, não verem reconhecimento, quer remuneratório quer estatutário, pretendem acrescentar mais-valias para a prática. O que vemos hoje em dia são enfermeiros a investir em especialidades médico-cirúrgicas ou de reabilitação por exemplo, mas a intenção é a coordenação e não a aplicação dessas aprendizagens para a melhoria dos cuidados ao doente.
Defendo que um enfermeiro que pretenda coordenar uma equipa deva ter formação para o efeito.
Defendo que entre um enfermeiro mais graduado e um enfermeiro com especialidade, seja o primeiro o escolhido para assumir funções de chefia.
O mesmo se aplica para seleccionar responsáveis de turno.
Caímos no ridículo de ver jovens enfermeiros com especialidade, com poucos anos de experiência, a assumir lideranças quando na mesma equipa há enfermeiros com vasta experiência e capacidade de liderança.
Não digo que os novos não sejam capazes de tal exigência, mas prefiro os velhos.
Não digo que todos os mais graduados terão perfil de líder, mas com os perfis certos e semelhantes, entre um e outro, seria o mais graduado que eu colocaria a liderar.

(*) entende-se por enfermeiro especializado, aquele que detém a especialidade numa determinada área, mas que apesar de desempenhar funções (ou não) nessa área, não é remunerado nem reconhecido como enfermeiro especialista.

5 comentários:

  1. Gostei do texto e concordo com o seu ponto de vista , no entanto saliento ainda que há casos em que enfermeiros que com especialidade , ainda tem formação no âmbito da gestão ( pós graduação e mestrados na área de gestão ) e que não são valorizados

    ResponderEliminar
  2. sim concordo.. isso é exactamente aquilo que referia: "enfermeiro que pretenda coordenar uma equipa deva ter formação para o efeito." . Na realidade pode acontecer o que dizes... não ser valorizado. Por isso concordo em pleno com alguns comentarios do facebook, a nossa "carreira" está uma profunda confusão.

    ResponderEliminar
  3. Perfeitamente de acordo. Vejo na UCI onde trabalho, enfermeiros especializados a assumirem responsabilidades para as quais não têm experiência perfil ou competências... Apenas porque têm uma especialidade... Julgo que a intenção daquelas é fornecerem mais competência para a prática não serem a ponte para o gabinete!!!!!!!!!

    ResponderEliminar

  4. Caro blogger, para gerir qualquer serviço ( seja num Hospital, numa empresa pública ou privada ) é imprescindível ter formação em Gestão ou Economia. Não discordo que a experiência seja um factor importante, mas, para podermos ter Enfermeiros gestores com capacidade para tal não pode faltar formação específica na área. Por outro lado é importante também separar desde já as águas. Neste momento vemos Enfermeiros apressados a tirar pós-graduações em gestão, ávidos por ter uma formação em gestão de forma a cumprir os requisitos necessários para ser enfermeiro principal e alcançar o o cargo de Enfermeiro gestor. A pergunta que deixo é esta: quando querem um advogado, contratam alguém com licenciatura em Direito ou um Enfermeiro com uma pós graduação em direito da saúde? Como a resposta é óbvia remeto o mesmo raciocínio para a função de gestão em Enfermagem. Temos muitos Enfermeiros que para além dessa licenciatura desenvolveram outra na área da gestão e economia. Não seria lógico darem oportunidades a estes profissionais de desenvolverem as competências adquiridas na gestão dos serviços ou será que ainda existe o receio de substituir chefes obsoletos e incompetentes por pessoas mais capazes?

    ResponderEliminar
  5. Concordo plenamente com a avaliação feita neste texto. Todos falam e sabem desta importância!

    ResponderEliminar