segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Portugal está morto para os enfermeiros


Dia para dia, penso cada vez mais em emigrar. O desejo de sair deste país que tem tanto de belo como de podre, tem-se intensificado, como eu nunca imaginaria que se intensifica-se.
Pesa muito abandonar a família, amigos, deixar de ir aqueles sítios que gostamos, abdicar de certos rituais, hobbies, mas por outro lado também pesa muito sermos desrespeitados no nosso trabalho e humilhados com o ordenado que levamos para casa.
Por muito que possa querer resistir, a ideia de emigrar parece que me persegue. Nas notícias é assunto constante, com a etiqueta sucesso colada, na internet invejo a satisfação de muitos colegas que relatam as boas mudanças, que com ela vieram e por cá vários são os colegas que cada vez falam mais no assunto, alguns até com a decisão já tomada.
Por cá a motivação é abaixo de zero, as perspectivas de melhorias são nulas, os investimentos na profissão de nada servem, progredir e carreira são palavras que caíram em desuso no vocabulário de um enfermeiro português, quase tudo piorou.
E agora?
Aproveito este post para pedir a colegas emigrantes que nos contem as vossas experiências, que ajudem tantos como eu, que pretendem mudar, a dar os passos certos nesta difícil decisão que é emigrar.

56 comentários:

  1. Olá... eu sou Enfermeira, trabalhei durante quatro anos em Portugal, tdos os dias pensava em emigrar, em ir à busca do desconhecido, em viver uma aventura e em ser reconhecida no meu trabalho....4 anos de cortes salariais, desmotivação pessoal, ingratidão por parte de toda a sociadade em relação à nossa classe..... numa semana tomei a decisão, despedi-me e vim para França... Sem dúvida uma decisão repentina, mas a melhor decisão de todos os tempos... Aqui reconhecem o meu valor... e isso é a melhor recompensa que se pode ter....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, sou enfermeiro aqui no Brasil há 15 anos, mas sempre tive um sonho de emigrar para Portugal, mas estou inseguro quanto a melhor cidade para se viver, a valorização do Enfermeiro, a validação do diploma, mas penso muito na educação do meu filho e na qualidade de vida e como poderei ficar em Portugal sem ter cidadania, se alguém puder me ajudar, agradeço

      Eliminar
    2. Bom dia, sou enfermeiro aqui no Brasil há 15 anos, mas sempre tive um sonho de emigrar para Portugal, mas estou inseguro quanto a melhor cidade para se viver, a valorização do Enfermeiro, a validação do diploma, mas penso muito na educação do meu filho e na qualidade de vida e como poderei ficar em Portugal sem ter cidadania, se alguém puder me ajudar, agradeço

      Eliminar
  2. Respondendo a solicitação e tb pk apesar de longe a revolta é mto grande sobre a situação dramática dos enfermeiros em Portugal!
    Eu estou emigrada desde Julho 2013 após uma breve passagem (2meses) por França, encontro-me actualmente em Guadeloupe já há 4meses.
    Em França estive a trabalhar numa clinica, fiz um contacto directo com eles apos terem contratado o meu namorado (fisioterapeuta) n é necessário qq tipo de autorização, apenas tradução de alguns documentos (diploma, registo criminal, acta de nascimento). Fizeram-me um contrato de trabalho tempo indeterminado no escalão correspondente ao tempo de serviço e formações efectuadas - correspondendo a um salario base de 2400euros, foi uma experiência boa, deu para desenvolver o francês que era muito rudimentar na altura. Com o começar do Inverno e as saudades do mar resolvemos mudar e encontramos alguns anuncios para Guadeloupe (colonia francesa - localização mar das caraíbas) para fisioterapeutas, para os enfermeiros apesar de haver procura só in loco é possível arranjar trabalho. E assim viemos nós, eu sem trabalho mas optimista como sempre! Comecei a procurar emprego em clinicas e hospitais mas nada... o tempo começava a passar e eu a aproveitar as minhas férias prolongadas :-) até que por um passa palavra me chegou aos ouvidos a procura de enfermeira para trabalhar em liberal (sonho de qq enfermeiro e já explico pk). Emprego - check! Sem problemas, sem complicações, apesar do francês meio enferrujado outra vez, apesar da cor de pele... Ora o trabalho como liberal é feito para evitar hospitalizações, consiste em higienes, dx+insulinas, medicação, colheitas de sangue, ta, algaliacoes... ao domicílio! Este trabalho é muitíssimo bem remunerado pk somos considerados o trabalho precario n tendo direito a ferias remuneradas, baixas, licenças... mas que com um seguro de 40euros mensais asseguramos tudo isso! Trabalhamos "a peça" ou seja trabalho - ganho, n trabalho - n ganho! Neste momento a minha tournée de 8 horas em que boa parte do tempo é passada a conduzir e com cerca de 20pacientes ganho 250euros/dia limpos! Esqueci-me de referir que tb fiz a inscrição na ordem francesa dos enfermeiros, apesar de não ser obrigatório!
    Qto as saudades, a distância... etc, é tudo muito relativo! Qdo se encontra um lugar onde se está bem, nos sentimos realizados, podemos ter só um emprego e um salario bom e nos sobra tempo para aproveitar esta vida... vos garanto que se encaram as saudades e a distância de uma forma mto mais pacífica, elas n deixam de existir e há momentos em que doi... mas nesse momento coloco os pros e os contras como numa balança e chego a conclusão obvia: voltar não está nos meus planos!
    Disponível para responder a alguma duvida ou questão!
    Bons projectos! :-) Portugueses procuram-se por cá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Colega Joana Costa se puder envie email a explicar a sua experiencia.
      Sou enfermeira há 10 anos e estou tentada a emigrar.
      claudiasssb5@sapo.pt

      Eliminar
    2. Boa noite Srª Joana Costa,

      O meu nome é Susana, li os seus comentários e pergunto-me se haverá espaço para Enfermeiros recém-licenciados? Licenciei-me este ano e ultimamente o desespero de querer exercer e o meu próprio país não deixar!, leva-me cada vez mais a ponderar a emigração e penso muito em França ou Suiça mas sinceramente não sei como a profissão está nesses países.

      Se não for exigir muito, eu gostaria muito (se não se importasse) que me esclarecesse algumas das tantas dúvidas que o "medo da emigração" me dá. =/

      Um beijinho, Susana.

      Eliminar
    3. Boa noite Sr. Guilherme de Carmo

      O meu nome é Susana e por um 'acaso' encontrei o seu blog e, é muito interessante ver as diferentes experiências e dúvidas...
      Dada a sua introdução, efectivou o seu 'querer' de emigrar?

      Eliminar
    4. ola susana! obrigado
      ainda nao... por enquanto não.. também ja ouvi dizer que pra Inglaterra devido a procura e saturação do mercado ja nao será tao vantajoso.. mas se fosse recem formado nao hesitava mesmo assim,

      Eliminar
    5. Olá! estive a ler alguns comentários e confesso que emigrar para fora também me seduz. Sou recem-licenciada e gostava de ir para a Suíça...mas tenho marido e uma filha de 7 anos e por isso algum receio em "dar o salto". Mas os vossos testemunhos confirmam o que eu, ou melhor dizendo "nós" sentimos: em portugal não se dá o devido valor aos enfermeiros. Já contactei a Croix rouge Suiça para saber qual o procedimento de reconhecimento da licenciatura. Entretanto, será que alguém me saberia dar informações sobre se vale mesmo a pena ir para a Suiça?
      obrigada!

      Eliminar
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    7. Joana. Desejava contata-la. Seria possivel contatar-me por mail?
      Obrigado

      Eliminar
    8. Boa noite!
      Gostaria de tirar umas dúvidas quanto a emigração, estou com planos de ir embora do brasil e trabalhar como enfermeira fora do país, de inicio pensei em Portugal, mas já vi que enfermeiro la é mal remunerado, gostaria de saber de vocÊs qual os países da Europa que fornecem melhores propostas de salários e como fazer para trabalhar. Meu e-mail é: semirames_bittencourt@hotmail.com

      Eliminar
    9. OLA! Em Portugal as condições aos pouquinhos tao a melhor. Acredito que daqui a 2 3 anos vão haver grandes evoluções. Inglaterra, Suiça e Alemanha talvez sejam as melhores opções. Como ir, não sei dizer.. só pesquisando, mas neste post já tem ofertas

      Eliminar
  3. Respondendo a solicitação e tb pk apesar de longe a revolta é mto grande sobre a situação dramática dos enfermeiros em Portugal!
    Eu estou emigrada desde Julho 2013 após uma breve passagem (2meses) por França, encontro-me actualmente em Guadeloupe já há 4meses.
    Em França estive a trabalhar numa clinica, fiz um contacto directo com eles apos terem contratado o meu namorado (fisioterapeuta) n é necessário qq tipo de autorização, apenas tradução de alguns documentos (diploma, registo criminal, acta de nascimento). Fizeram-me um contrato de trabalho tempo indeterminado no escalão correspondente ao tempo de serviço e formações efectuadas - correspondendo a um salario base de 2400euros, foi uma experiência boa, deu para desenvolver o francês que era muito rudimentar na altura. Com o começar do Inverno e as saudades do mar resolvemos mudar e encontramos alguns anuncios para Guadeloupe (colonia francesa - localização mar das caraíbas) para fisioterapeutas, para os enfermeiros apesar de haver procura só in loco é possível arranjar trabalho. E assim viemos nós, eu sem trabalho mas optimista como sempre! Comecei a procurar emprego em clinicas e hospitais mas nada... o tempo começava a passar e eu a aproveitar as minhas férias prolongadas :-) até que por um passa palavra me chegou aos ouvidos a procura de enfermeira para trabalhar em liberal (sonho de qq enfermeiro e já explico pk). Emprego - check! Sem problemas, sem complicações, apesar do francês meio enferrujado outra vez, apesar da cor de pele... Ora o trabalho como liberal é feito para evitar hospitalizações, consiste em higienes, dx+insulinas, medicação, colheitas de sangue, ta, algaliacoes... ao domicílio! Este trabalho é muitíssimo bem remunerado pk somos considerados o trabalho precario n tendo direito a ferias remuneradas, baixas, licenças... mas que com um seguro de 40euros mensais asseguramos tudo isso! Trabalhamos "a peça" ou seja trabalho - ganho, n trabalho - n ganho! Neste momento a minha tournée de 8 horas em que boa parte do tempo é passada a conduzir e com cerca de 20pacientes ganho 250euros/dia limpos! Esqueci-me de referir que tb fiz a inscrição na ordem francesa dos enfermeiros, apesar de não ser obrigatório!
    Qto as saudades, a distância... etc, é tudo muito relativo! Qdo se encontra um lugar onde se está bem, nos sentimos realizados, podemos ter só um emprego e um salario bom e nos sobra tempo para aproveitar esta vida... vos garanto que se encaram as saudades e a distância de uma forma mto mais pacífica, elas n deixam de existir e há momentos em que doi... mas nesse momento coloco os pros e os contras como numa balança e chego a conclusão obvia: voltar não está nos meus planos!
    Disponível para responder a alguma duvida ou questão!
    Bons projectos! :-) Portugueses procuram-se por cá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola
      tambem sou enfermeiro em portugal, e decididamente penso em emigrar o mais breve possivel. sou enfermeiro desde 2001 e apesar de ter trabalho certo e fixo, isto nunca esteve tão mau e desmotivante. bem, ja estive no panama e na republica dominicana, e as caraibas sempre me fascinaram!!! mas nunca conheci um enfermeiro portugues que exercesse aí...
      o que seria necessario para trabalhar aí joana? poderia dar-me algumas dicas?
      obrigado

      Eliminar
    2. Olá Joana Costa. Me chamo Desirée Mazocco e sou enfermeira brasileira com 5 anos de experiência. Estou cogitando a possibilidade de emigração pois a enfermagem aqui no Brasil não é valorizada. Penso em emigrar para a Europa. Gostaria de algumas dicas, se puder me contactar aqui vai meu e-mail: darcianedesiree@hotmail.com

      Eliminar
  4. Enfermeira 6 anos em Portugal, não foi pelo cansaço que emigrei mas para acompanhar o meu namorado fisioterapeuta sem emprego em Portugal! A melhor decisão da minha vida tb :-) 2 meses em França e há 4 meses em Guadeloupe ( colonia francesa - localização mar das caraíbas ). Uma experiência para a vida, reconhecimento e um bom salário foram algumas das coisas que cá vim encontrar! As saudades qdo colocadas no prato da balança são insignificantes. Voltar - e uma palavra que certamente não vai entrar nos meus projectos a medio prazo!
    Disponível para responder as vossas questões!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sera que me pode dar seu email gostaria de saber pormenores pois estou interessado em emigrar para ai tb obg e boa sorte.

      Eliminar
  5. Futuro (!) Colega. No meu caso, estando no 3ºano da licenciatura prevejo o meu futuro em tudo pior. Mesmo que queira emigrar, e já estava ciente disso, não posso devido à nova polémica da MPT. Enquanto não sair em Diário da República não há estágio, enquanto não houver vagas (sim porque para além de sermos obrigados a ir para onde existir falta de enfermeiros temos que estar em lista de espera) não há cedula, e naturalmente enquanto não houver cédula ninguém pode emigrar.
    Só não percebo porque é que não cortam vagas! Deixam nos andar 4anos a gastar tempo e dinheiro para depois nos cortarem as asas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não estou a par deste novo processo, mas para se trabalhar em França p.ex não é precisa a cédula profissional, apenas o diploma de fim de curso.

      Eliminar
  6. Eu sou enfermeira, exerci durante 3 anos em Portugal e entretanto decidi emigrar. Sempre tive trabalho, mas as condições de vida reservadas aos enfermeiros em Portugal foram-me assombrando a vida. Se comecei num trabalho com recibos verdes, dias incertos combinados com uma caixa no centro comercial - terminei a minha carreira portuguesa (sim, terminei, não vou voltar) a trabalhar em meio hospitalar, com contrato de 6 meses, entre 60 a 80 horas por semana. Há quem acredite que só trabalha duplo ou triplo quem quer ter um grande carro ou férias exóticas todos os anos - eu trabalhei estas horas porque, se eu não as fizesse haveriam de arranjar outras trezentas enfermeiras que as fizessem por mim com um sorriso nos lábios. Meses inteiros passavam, às vezes só com um dia de folga. Eu vivia no hospital, os doentes e os meus colegas eram o meu dia-a-dia.
    Não há casa, cultura, hobbys ou até amigos que paguem a sanidade mental e a saúde física e espiritual. Tenho muita saudades de algumas pessoas, a minha família faz-me imensa falta. Não raras vezes vou sonhando com pastéis de Belém, praia e sol, bicas, pão, peixe... todas as coisas que nunca dei grande importância, mas uns mesinhos fora de casa e começam todas elas a vir frequentemente ao pensamento. Mas é só pegar no avião e já está. Problema resolvido: nada destas coisas se perdem realmente, elas só deixam de fazer parte da rotina.
    Nunca quis candidatar-me através de agências de emprego nem intermediários, fiz tudo por mim própria, embora as cargas de trabalho surreais, e compensou. Aprendi alemão (até ao A2 no Goethe Institut e depois sozinha em casa) e enviei 14 candidaturas para diversos hospitais da cidade onde estou, com 14 respostas, maioritariamente positivas.
    A possibilidade de escolher ordenado, local de trabalho e especialidades e tipo de contrato, tudo como contam os colegas que há 20 anos ainda se davam a estes lixos em Portugal. Fiquei maravilhada.
    Hoje trabalho num Hospital. Os tempos iniciais foram muitos difíceis, mas superei-os. Tenho, se quiser, um trabalho para a vida. No entanto as culturas são tremendas e a nossa formação portuguesa torna muito difícil a adaptação a outras realidades - nós temos uma competência que aqui é equiparada a médicos em final de licenciatura ou superior. Depois é uma questão de fazer escolhas e estabelecer prioridades - e estarmos dispostos a abdicar de algumas competências pela nossa qualidade de vida. Dói. Às vezes dói mesmo.
    Mas o meu contracto indeterminado de trabalho e o ordenado no final do mês, que me deixa o mês inteiro sem necessidade de ir ver o saldo ao multibanco, trazem-me uma tranquilidade de vida que nunca tinha pensado possível antes.
    Aconselho - para quem tiver a coragem e as expectativas realistas. Nada é perfeito. Se a vossa prioridade é a família e estarem perto de quem gostam, não vale a pensa imigrarem se têm uma boa qualidade de vida. Para aqueles, que como eu, também gostam muito da família mas já se sentem à beira de desesperança - é uma possibilidade a considerar. O Skype é uma maravilha e os correios funcionam que é um mimo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpa. Mas em que hospital da Alemanha estas?

      Eliminar
  7. Não tenho nada contra, mas lamento ter que dizer, que agora o problema dos enfermeiros em Portugal e a única preocupação da ordem e sindicato são os Enfermeiros da saúde 24
    onde a maior parte são segundo emprego
    Ainda bem que surgiu este problema, para ficarmos a saber que ainda estão vivos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E uma grande luta dos Enfermeiros S24 a fazer ver à nossa classe! Qto a ser um segundo emprego é a empresa que assim o determina (minimo 2 anos de experiência e no activo).
      N vamos confundir aguas e se as confundirmos que seja com a realidade!

      Eliminar
  8. http://www.ordemenfermeiros.pt/comunicacao/Paginas/Emigracao.aspx

    ResponderEliminar
  9. http://www.ordemenfermeiros.pt/comunicacao/Paginas/Emigracao.aspx

    ResponderEliminar
  10. Olá Guilherme, eu sou uma Jovem Enfermeira que no próximo mês irá iniciar a vida de Emigrante para Inglaterra. A decisão não foi fácil, porque tal como dizes há coisas que ficam que pesam muito. Mas por outro lado este é o melhor momento para o fazer e prefiro trabalhar onde me dão valor e reconhecem o nosso trabalho, não só monetariamente mas também a nivel profissional e pessoal! Quando começar a aventura darei notícias!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá pulGa,
      Gostaria de a contatar. Pode responder-me para o email?

      Obrigado

      Eliminar
  11. Olá Guilherme. Antes demais compreendo na integra o teu texto. Sou uma das futuras emigrantes,em meados de Fevereiro lá começarei em Inglaterra um novo caminho. A decisão tal como dizes não foi fácil, há muita coisa e muita gente que tenho em Portugal que não queria deixar nem por nada, mas estou desiludida com este país, com a forma como tratam a nossa profissão . Agora é começar e finalmente sentir que dão valor ao nosso trabalho não só monetariamente mas também pessoal e profissionalmente. Quando começar darei novidades que talvez possam ajudar quem está na dúvida.

    ResponderEliminar
  12. Lá fora é que é!!
    E em France, ui!

    ResponderEliminar
  13. Sou enfermeira ha cerca de 14 anos, exerco a minha profissão no maior hospital do pais e num dos serviços mais complicados. Sempre adorei o que faço, vinha com alegria e vontade para enfrentar os dias as noites complicadas que se vivem neste serviço. Ao longo dos anos, perante tantas adversidades que vamos sofrendo quando estamos demasiadamente expostos, injustiças e desvalorização, fui perdendo o gosto e a vontade de continuar a ser enfermeira.
    A facada final foram os cortes no ordenado...posso dizer vos que o meu vencimento deste mes correspondeu a metade do que ganhava em 2007 ou seja ha 7 anos atras....indecente.
    Agora.....agora venho desmotivada e triste....todos os dias, me custa mais ter optado por esta profissão com a qual ja nao me identifico, perdi-lhe o gosto, trabalho porque preciso trabalhar... Lamento tanto ....mas quero deixar de ser enfermeira, nao aguento mais tanta injustiça e falta de reconhecimento de um dos trabalhos mais nobres.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estando em anonimo, gostaria então que indica-se os valores. se no mês de janeiro recebeu metade do que em 2007, então quer disser que em 2007 levava para casa 2200€ limpos? sim porque se trabalha no maior hospital pais (santa Maria) leva para casa mensalmente um valor de 1050/1100, e não está no hospital a 14 anos, mas sim a 2 anos.
      Enão antes em Portugal um enfermeiro ganhava mais que em França e comparando custo de vida com ordenado mais que na suiça.

      Então foi a classe que mais cortes sofreu....

      Eliminar
  14. Também eu estou de partida. Passaram 4 anos e meio desde que me formei e, apesar de sempre ter tido trabalho, acho que chegou o momento. Tenho a sorte de trabalhar naquilo que gosto, dentro da área da saúde pública, mas infelizmente as condições são sempre precárias. Tenho contrato - aliás sempre fui tendo - e até nem ganho mal quando comparado com outros colegas. Mas os projectos onde trabalho vivem de financiamento a curto prazo. Todos os anos é o mesmo sufoco e não sabemos se vão ser renovados ou não...assim acho que chegou o momento de ir ver como me safo lá fora. Parto já com vontade de voltar mas também com a motivação para aprender coisas novas. Estou a tratar do registo no NMC e penso que no próximo mês terei tudo pronto para ir...depois dou noticias :)

    ResponderEliminar
  15. Serei a única emigrada na Suiça que acompanha este blogue? :). Nunca exerci em Portugal, pois quando acabei a licenciatura não surgiram oportunidades. Mas a partir dos locais em que estagiei, deu para analisar bem as condições de trabalho, a competição entre colegas, o desprezo dos médicos, as queixas do tempo de espera dos doente, a falta de material, etc. Estou na Suiça há quase 3 anos. Já fiz várias formações pagas pela entidade empregadora, já sou enfermeira-chefe adjunta, e já penso para o próximo ano me dedicar mais ao domínio de clínica geral para poder dar aulas. Não vou dar falsas esperanças a quem está a pensar emigrar para cá por duas razões: a oferta é superior à oferta, e para o próximo mês as leis da imigração vão ser revistas pelo Estado, obrigando a algumas medidas a serem tomadas. Mas não deixo de desejar a maior sorte do Mundo a quem emigrar, e sobretudo se fôr para a Suiça :).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em que parte da Suiça se encontra? Parto agora em julho de novo para a suiça, vim a Portugal terminar o nivel B2 de frances para obter a autorização da cruz vermelha e estou muito confiante em relação ao que me espera aí... Já tenho permis B, acha que terei muitas dificuldades em encontrar trabalho? A maravilhosa Suiça ;)

      Eliminar
    2. Alguém me pode ajudar a arranjar emprego como enfermeiro na Suiça? Obrigado

      Eliminar
    3. olá! o melhor é clicares nos nomes das pessoas que participam no blog e que têm páginas na net... Miguel ou deepgirl por exemplo e assim falas ou tentas falar diretamente com essas pessoas, porque provavelmente elas por esta via (este blog) não vão ler a tua questão

      Eliminar
    4. Olá boa noite DeepGirl. Sou uma enfermeira recém licenciada e estou a planear e a organizar-me para emigrar para a Suiça. Gostaria muito de saber a sua opinião e mais informações sobre o mundo da enfermagem por lá. Tenho lá família e já conheço o país em si, no entanto não conheço a enfrmagem lá... Beijinhos Nita Simone

      Eliminar
  16. Não serás sozinha Deepgirl! Após 2 anos de suíça e quase com a especialidade feita (devidamente paga pelo hospital onde trabalho!) só me arrependo de não ter vindo mais cedo! Mas a verdade é que a torneira suíça vai fechar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Colega podes dar me teu email sff? Gostava de pedir ajudar para ir para ai trabalhar. Obrigado.

      Eliminar
    2. desculpa meu email galione1@hotmail.com obg

      Eliminar
    3. olá! o melhor é clicares nos nomes das pessoas que participam no blog e que têm páginas na net... Miguel ou deepgirl por exemplo e assim falas ou tentas falar diretamente com essas pessoas, porque provavelmente elas por esta via (este blog) não vão ler a tua questão

      Eliminar
  17. Enfermeira desde 2009. Vim para o Reino Unido há quase 2 anos. Doi muito e foi sem dúvida a decisão mais díficil que tomei mas a recompensa é muito maior. Aqui sinto que me dão valor e somos recompensados por isso. Apenas a título de exemplo: quando me pedem para fazer uma noite em horas extras pagam-me quase 200 libras por esse turno. Um enfermeiro recém-licenciado ganha ligeiramente mais do que um médico de primeiro ano.
    Não que o dinheiro seja a única coisa positiva, mas é bem sentir que somos reconhecidos pelo nosso trabalho. Também sinto que há muitas coisas que precisam de mudar na enfermagem deste país. Estão muito atrasados em termos de formação, por exemplo. Quando cheguei cá não podia fazer nenhuma técnica invasiva aos meus doentes, como por uma sonda ou um catéter, porque eles não ensinam este tipo de coisas básicas aos alunos deles. A vantagem é que rapidamente se apercebem que somos mais capazes e subimos mais depressa na escada hierárquica que eles tanto gosto. Pelo menos foi assim comigo.
    Aqui acho que saio para trabalhar com outro gosto e com outra vontade.
    Espero ter ajudado.
    Rita

    ResponderEliminar
  18. Olá a todos. Cheguei a Zurique à 2 semanas e digo-vos que está a ser tão gratificante, que nestas duas semanas ja deu para perceber que é ca que vou seguir a minha carreira profissional. ´Somos tratados como Efermeiros k somos, com respeito por todos os trabalhadores e utentes, temos as melhores condições e tanta coisa inimaginavelmente positiva. O pais é caro, mas o ordenado também é excelente comparando com o de Portugal. Eu sou recem licencada e mesmo assim sou tratada como todos os outros enfermeiros. Alem disso o nosso curso comparativamente ao de ca é mesmo excelente e eles gostam imenso do nosso trabalho.
    A minha opiniao é que se pensarem em emigrar aprendam uma lingua e apostem no vosso futuro.

    É dificil, sim, prncipalmente quando se chega ca completamente sozinho sem conhecer nada, mas tudo se consegue.

    Força para quem tambem decide fazer este passo gigante, mas vale a pena..

    Bjo Andrea

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá.... eu e o meu namorado também estamos a pensar ir para zurique. os meus pais estão ai à já alguns anos, eu termino o meu mestrado este ano mas o meu namorado apenas acaba o 2º ano de enfermagem...achas que ele consegue arranjar alguma coisa aí na área???
      bj

      Eliminar
    2. Andrea ai falasse alemão? Como foi tua experiencia com a língua por ai? podes me dizer alguma coisa por email sff galione1@hotmail.com obg.

      Eliminar
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  20. Gilherme a dificuldade de abandonar o pais hoje em dia é utopica, sem razão de ser. Hoje em dia consegues fazer a viagem europa........> portugal com muita mais comodidade, rapidez e economia, do que trabalhares e viveres abaixo do tejo e teres k vir ca cima ao fdsemna. Lembra-te que és um europeu desde 86 e as pessoas tem que assimilar essa ideia. Muitos de nos estudaram fora da cidade natal, lisboa porto etc...e lembro-m k vir um fds a casa era um sacrificio em todos os sentidos, para nao falar na viagem interminável no renault clio do colega de curso. Hoje em dia podes trabalhar em paris, londres, berlim e estares à distancia de 6 musicas como custumo dizer... Percebam uma coisa....eu nao vou ficar a pagar divida nenhuma dos outros, eu nao vou viver pobre toda a minha vida em nome da demagogia patriotica de alguns, é mt bonito mas nao me poe comida na mesa. Enquanto isso o mesmo europeu k vive em frança inglaterra e alemnha, tem cuidados de saude de excelencia, está a ir de ferias, esta a comprar carros, come carninha da boa, tem fibra em casa etc. Por que raio irei eu ficar na santa terrinha a esgravatar a terra a procura de batatas? Chamo-me Pedro torres sou enfermeiro emigrado vivo na europa e tenho qualidade de vida. Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  21. Para todos os enfermeiros que estão a pensar em emigrar, aproveito para informar que sou profissional independente de tradução e trabalho com advogados para as certificações e o pack para o NMC custa apenas 70€ com as certificações incluídas.
    Ana Ribeiro - http://transcritorio.blogs.sapo.pt/
    transcritorio@gmail.com
    Tlm: 914625103

    ResponderEliminar
  22. Olá boa noite a todos os enfermeiros. Gostaria de perguntar a si DeepGirl como é o mundo da enfermagem na Suiça??!!Pois sou uma recém licenciada terminei o meu curso agora em junho de 2014 e estou a organizar-me para emigrar para a Suiça. Estou bastante familiarizada com o país pois tenho família de lá, inclusive o meu pai, no entanto gostaria de saber mais informações e a sua opinião quanto ao mundo da enfermagem, pois não tenho ninguém lá e não conheço ninguém lá que seja enfermeiro. Obrigada ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Nita Simone!

      O meu nome é Susana e por um 'acaso' descobri este blog (o acaso designa-se por andar incessantemente a pesquisar sites e empresas e ofertas de vagas para Enfermeiros....pesquisa esta que de nada é positiva, só mais desmotivante e desesperante de dia para dia!!)

      Nita, eu também me licenciei este ano e esta passada semana estou cada vez mais inclinada para a emigração, e muito penso em França ou Suiça. Li o seu comentário que de muito se encontra com as duvidas que se vêm instalando na minha cabeça: não conheço ninguém no estrangeiro que exerça Enfermagem nem ninguém que resida lá.

      Seria possível trocarmos contactos? o meu e-mail é SVES_KJOLNER@HOTMAIL.COM

      se já estiver na Suíça espero que tudo esteja a correr bem! =)

      Eliminar
    2. mais uma vez tentem falar directamente com as pessoas que pretendem clicando nos nomes (anonimos e quem nao se regista nao da) boa sorte! como calculam este é um post antigo e as pessoas nem sempre ca veem

      Eliminar
  23. Bom dia,

    estive a ler todos os comentários que colocaram aqui.

    Neste momento trabalho para uma empresa de recrutamento. Já mediamos muitos Enfermeiros para Alemanha, e estão felizes juntamente com namorados, outros com família.

    Existe neste momentos muitas vagas na Alemanha, os salários são convidativos, as condições de trabalho são excelentes.

    Vou deixar o meu e-mail / contacto para quem estiver interessado: david.c@ppa-personal.com - 93 474 73 32 .

    Existe oportunidade de emprego para Enfermeiros, Técnicos Auxiliares de Saúde e há a possibilidade de (caso for o caso) de poder levar o namorado/família para Alemanha. Nós apoiamos em tudo que estiver ao nosso alcance!


    Desejo muita sorte no vosso percurso profissional!

    ResponderEliminar
  24. Preciso de dois enfermeiros para trabalhar em sesimbra.Interessados enviar solicitação para o email abaixo.
    Xilamilly@hotmail.com

    ResponderEliminar
  25. Boa noite! Me formei no Brasil, penso em emigrar para Portugal para trabalhar como enfermeira, gostaria de sua opinião!

    ResponderEliminar