sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Hospitais particulares - O comércio da saúde

Quando era miúdo lembro-me de uma mercearia que tinha um “livrinho” com as contas fiadas. Mais tarde soube-se que os clientes fiados acabavam por pagar mais do que aquilo que deviam, ou seja eram roubados indecentemente. A maior parte daqueles que pediam fiado, faziam-no por necessidade, por falta de dinheiro, mas o ladrão do dono não se incomodava com isso, ludibriou os clientes durante anos. Nos hospitais particulares passa-se a mesma coisa, mas em proporções bem maiores.
Quantas vezes um utente é submetido a determinada intervenção, onde é gasto o material x+y, sendo-lhe debitado na conta a pagar o material x+y+z, fora a mão-de-obra. O infeliz do utente como não sabe o que foi gasto, nem o que é o x o y ou o z, paga e cala-se. Isto é uma das muitas coisas que me faz repudiar os hospitais particulares. Desprezo-os profundamente. Para mim os gestores dos hospitais particulares são comerciantes de saúde, que só vêem o lucro e a melhor forma de explorar utentes e funcionários.
Ao longo da minha vida profissional ouvi histórias repletas de absurdos e canalhices. Deixo-vos com uma e convido-vos a expor outras.

Quantas vezes terá ido a viatura de emergência (vmer) assistir doentes internados em hospitais particulares, que se encontravam em estado grave? Os doentes vão descompensando dia após dia, não se tomam as medidas adequadas, porque não há condições, nem saber e o que interessa são internamentos prolongados para manter as taxas de ocupação e depois… e depois é chamada a vmer. E ainda se tem a lata de pedir para desligar as sirenes e entrar pelas traseiras… Para não dar mau aspecto.. Parece mal aqueles tolinhos de fluorescente andarem a correr para o hospital particular, para ir a um internamento tentar salvar uma vida.
Outros absurdos aproximam-se

9 comentários:

  1. O colega até pode ter razão em certa medida (pequenas clínicas e pequenos hospitais privados), penso que não se deve é generalizar.
    Os 3 grandes grupos privados na área da saúde têm actualmente uma gestão profissionalizada (nalguns casos com menos administradores que os hospitais públicos)que deveria causar inveja a alguns hospitais públicos e estruturas da RNCC (sim aqui chamam a VMER para tudo e mais alguma coisa e estão a receber verbas avultadas do estado para assegurar tratamentos que não prestam!!!).
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Acho efectivamente que não se deve ter mais olhos que barriga e se não tem condições para tratar certas situações tem se o dever de as emcaminhar adequadamente e não ficar à espera que a pessoa esteja a morrer para o fazer. Muitas vezes em condições já complicadas. Essa situação é revoltante. Complicações existem em todo o lado, e é preciso é discernir se há ou não os meios para as atender/ tratar ou então emcaminhar para quem o possa fazer. Se eu fosse médica ou enfermeira da vmer entrava com o maior estardalhaço possivel!!

    ResponderEliminar
  3. Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes pratos tão bem confeccionados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
    Cumprimentos a todos!

    http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. caro eazb,
    concordo contigo. este e outros casos que mencionarei reportam-se a hospitais particulares que conheço
    o que quis generalizar é que desprezo a ideia o conceito de hospital particular. Nestes assuntos sou um pouco comunistas, adepto das politicas cubanas (nesta materia!!)
    abrço

    ResponderEliminar
  5. Chegou o blog que estava a fazer falta aos enfermeiros e à enfermagem em Portugal. Importante instrumento dos mais pequenos, capaz de fazer tremer os maiores. Ciente da quantidade de segredos, histórias ocultas, mentiras que parecem verdades e verdades escondidas existentes na enfermagem, numa altura de crescente opressão e até censura, pretende tornar a enfermagem numa profissão mais transparente e mais justa. Conto para isso com a vossa ajuda, pois sem ela, nada mudará, pelo menos para melhor.

    http://enfleaks.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. PARABÉNS GUILHERME,
    PELA SUA FRONTALIDADE.
    ABRAÇO!
    L.F.P

    ResponderEliminar
  7. e couves? não?
    epá cuidem-se!
    este post nem faz sentido!
    não falem do que não conhecem...

    ResponderEliminar
  8. So faLO DO QUE CONHEÇO
    ha uma coisa que se chama argumentação

    ResponderEliminar
  9. CONTINUAMOS COM AS MESMAS ATITUDES!
    NÃO TÊM ARGUMENTOS,NÃO TÊM CONHECIMENTOS DOS FACTOS,NÃO GOSTAM DE OUVIR AS VERDADES,ETC...
    MAS TAMBÉM,NÃO VÃO SE ESCLARECER.
    GOSTAM É DE VIR USAR O BLOG PARA OFENDER E DESCARREGAR AS SUAS FRUSTRAÇÕES.
    QUANTA FALTA DE VIRTUDE EM ALGUNS COMENTADORES!!!
    GRANDE GUILHERME!
    GRANDE BLOG!
    ABRAÇO!
    L.F.P

    ResponderEliminar