domingo, 14 de março de 2010

Vais de ambulância? Não!.. Vou na "carreira"


Comenta-se cá pelo nosso hospital que há um(a) enfermeiro(a), que quando faz uma transferência de um doente para outro hospital, costuma ir ao lado do condutor e desliga os monitores, talvez para não se incomodar com o som dos alarmes. Além disso, parece também que é comum transportar dois (!!) doentes ao mesmo tempo, e não!! ... não se tratam de doentes que vão a uma consulta de rotina, são apenas doentes que vão para unidades coronárias, etc, etc.. Mas não há crise, eles estão sossegaditos, são doentes que estão sempre perfeitamente estáveis... Nunca nada há-de acontecer, ou já aconteceu?? E Siga a viagem!

Mais uma flecha do Robin!

Senhoras e Senhores que mandam, acordem para o problema das transferências de doentes críticos, neste hospital!! Qualquer dia vão haver problemas sérios e vai sobrar para vós, não tenham a menor dúvida disso

12 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Caro colega, deve remeter isso para a Ordem dos Enfermeiros

    ResponderEliminar
  3. SAV disse...

    E assim mesmo grande Robin. Já estava a demorar alguem falar sobre este problema. É verdade, e parece tambem que esse(a) tal enfermeiro(a) nem formação em suporte imediato de vida tem, parece tambem que entra em panico, sim, em panico, quando um doente inicia dor durante o transporte, e se por acaso entra em PCR, tem capacidades para iniciar o protocolo? Alguem tem de acabar com isto. Criem uma equipa (medicos tambem) com escala, para que rode por todos (e não seja apenas um elemento ......... (removido pelo autor)), responssavel pelos transportes, com a formaçao adequada!!
    Parabens pelo blog, CONTINUEM...

    ResponderEliminar
  4. O que se passa com o pagamento de horas extraordinárias na ULSAM?

    ResponderEliminar
  5. Leiam isto e talvez responda á questão das Horas Extras no ULSAM

    http://doutorenfermeiro.blogspot.com/2010/03/dois-pesos-duas-medidas-e-uma.html

    ResponderEliminar
  6. Toda a gente sabe.
    Toda a gente vê.
    Toda a gente critica.
    Mas ninguém faz nada.

    E quando para se fazer uma transferencia como deve ser:
    Tenho que seguir turno;
    Me chamam nas minhas folgas;
    Está a dar o futebol;
    Se calhar vou chegar depois da hora;
    Está na hora de dormir;
    Combinei almoçar com a minha senhora;

    Então já pode ser um desses enfermeiros/médicos a fazer a transferencia. (esses mesmos que de facto devem ir com o condutor, até porque lá atrás não vale a pena ficar)

    Mudam-se as pessoas, mudam-se os critérios.


    E OS DOENTES?

    Os doentes só estão doentes para podermos ter o nosso emprego e levar uns tostões para casa ao fim do mês.

    ResponderEliminar
  7. Caro G. Publica este Post no teu Blog.

    http://doutorenfermeiro.blogspot.com/2010/03/dois-pesos-duas-medidas-e-uma.html

    ResponderEliminar
  8. Lamento que perante tantos problemas graves a acontecerem nesta instituição, alguém se aventure desta forma a falar provavelmente daquilo que não sabe.
    Conheço muito de perto uma enfermeira responsável pelo acompanhamento de doentes para as diferentes instituições. Conheço muito de perto o seu trabalho, a sua disponibilidade e a sua dedicação aos doentes.
    Gostaria sim, que os enfermeiros que se acham com capacidade de avaliar o trabalho de quem não conhecem, olhassem para o seu desempenho, porque quando perdemos tempo a olhar e a criticar injustamente os nossos parceiros estamos de forma indirecta a expor os nossos colegas e isso é um acto de imoralidade e desonestidade e não nos fica bem.
    Caros colegas deixem de pensar que são uma elite, todos somos importantes.
    Quando um doente necessita de ser acompanhado por um enfermeiro com SAV também necessita da presença de um médico. De facto só quem tem segundas intenções, sejam elas quais forem, é capaz de fazer as afirmações que foram feitas.
    É pena não se identificar, porque com tanta preocupação com o transporte dos doentes, poderia ser uma mais valia na organização duma equipa "elite" para o transporte dos mesmos, mas cuidado porque parece que em horas extras está fora de questão..... e isso sim, está a tornar-se num verdadeiro problema dos enfermeiros desta instituição.

    ResponderEliminar
  9. Mas espera ai??!! Alguem identificou alguem??!! Quem acabou de identificar , ou querer identificar, foste precisamente tu. Por tudo o que foi dito foste logo associar a alguem, e se foste associar, é porque existe ai alguma associação, n sei se percebeste?!. Aventurar??!! Voltamos à inquisição?? Para ti é uma aventura falar de problemas serios abertamente?? Se calhar é melhor metermos o rabinho entre as pernas, ficar caladinhos e deixar andar... Eu não ando no "diz que disse" Rosana, quando digo é porque é comprovado. O problema dos médicos é outro grave problema, mas é outro problema. "Elites"??!! não são necessárias. são necessarios enf com formação material adequado, médico ao lado e se possivel irem ao lado do doente. Quanto À identificação, o Guilherme não me deixa identificar, se me identificar ele não autoriza os meus posts e comentarios.. ele é que manda

    ResponderEliminar
  10. Pois é... aqui esta um dos problemas da nosssa instituiçao.. Eu nao compactuo com isto, sp que tenho conhecimento que os doentes do meu serviço nao têm o devido acompanhamento, informo o meu chefe... e no que é que da em nada...ZERO...
    Tudo esta bem enquanto corre bem!!!
    O problema dos transportes nao é do serviço A,B ou C... é um problema da instituiçao!! e ja era mais do que tempo que este problema fosse resolvido!!! Para quem nao tem conhecimento, durante o transporte pertende-se que o nivel de cuidados durante o transporte se mantenham iguais ao do serviço de origem...
    Desta forma que se realizam os transportes ha alguem que ainda ache que se mantem os niveis de cuidados??
    Elites??? Ninguem fala de elites, simplesmente profissionais com formaçao capazes de actuarem quando assim for necessario....
    Aqui vai uma achega houve-se falar numa equipa medica para transportes!! e Enfermeiros alguem ouviufalar???

    ResponderEliminar
  11. Mt bem glosa voltou em grande, é mesmo isso.. Nao acrescento nem retiro uma palavra. Caro anonimo brevemente saira um post com o problema das horas extraordinarias..

    ResponderEliminar
  12. Cara Rosana

    Desculpa discordar, mas é muito mais necessário um enfermeiro com SAV quando vai sózinho, do que quando vai com médico.
    O SAV prepara-nos, principalmente para ser "team leader". Quando vamos sem médico, somos nós o elemento mais diferenciado, logo o team leader.

    Não posso deixar de dizer que, mais do que ter SAV ou SIV etc, é preciso que ter noção das nossas capacidades e limites.
    A cada enfermeiro cabe a decisão de saber quais os seus limites, e aos chefes de os validar.

    Aproveito para deixar a todos quantos lidam com o transporte de doentes a seguinte referencia:
    - Guia de transporte do doente critico.

    PS. Se quiserem, tenho um aplicativo, em excel, para calculo das necessidades durante o transporte, quer humanas quer de equipamento.

    Ao dispor:
    Abel Campos, SU-OBS

    ResponderEliminar