quinta-feira, 19 de outubro de 2017

O clima "azevedou" graças à dívida dos autocarros


Artigo de opinião 
por Guilherme de Carmo

Da mesma forma que critiquei o SEP por não ter aderido à última grande manifestação de enfermagem, devo agora aplaudir,  por se ter mantido sereno e coerente perante os fortes ataques de colegas alimentados e iludidos pela FENSE. 
A FENSE construiu uma máquina demolidora,  constituida por sócios e simpatizantes com perfis de FB verdadeiros e outros duvidosos.  Desta forma apelou-se insistentemente à dessindicalização em massa de sócios do SEP, para descredibilizá-lo ou até, se possível,  erradicá-lo,  acenando com promessas que agora se veio a confirmar não serem cumpridas. 
Assinaram um acordo que está a milhas daquilo que prometiam.

Pergunto agora a todos os colegas que pisaram o SEP,  se

A FENSE NÃO TE REPRESENTA?!

Criou-se uma aliança de ódio,  contra-informação e difamação movida por um grupo de amigos.  Alguns desses amigos agora viraram inimigos. 
Por isso aplaudo a serenidade do SEP,  soube esperar.

"Triunfam aqueles que sabem quando lutar e quando esperar"
Zun Tsu

"Inimigos de fraca índole, facilmente se tornam inimigos entre eles."
Guilherme de Carmo


O episódio  dos autocarros insolventes é um exemplo de tudo isto.
Ao que consta,  segundo a (única) versão, na altura da manifestação em Lisboa,  a despesa seria partilhada por Ordem e FENSE.
Na altura todos eram muito próximos, eram conferência de imprensa em conjunto,  eram selfies,  tshirts azuis e passagens triunfantes pela multidão em manifestação. O SEP era o carrasco. 
Agora o clima "azevedou" graças à divida.
A ser verdadeira a versão,  repito,  a ser verdadeira a versão do acordo de partilha de despesas,  a Ordem fica mal na selfie e os que idolatram ARC,  deverão talvez repensar a paixão.

Sobre a dívida em si,  duas notas:
Os autocarros decerto teriam jacuzzi.

O dinheiro das novas admissões de sócios da FENSE,  decerto dará para saldar a dívida.

Sem comentários:

Publicar um comentário